O AMOR É OUTRA COISA #49 Como nos apaixonamos por outra pessoa?

18 de julho de 2016


Estava a ler uma notícia na revista Time esta semana que dizia que o amor à primeira vista só acontece a 11% das pessoas e é muito mais comum nos homens que nas mulheres - o que não é de espantar. Eles estão sempre com a antena parabólica ligada. Mas a verdade é que as "regras" por detrás da atracção são infinitas. Pessoas que têm tudo para dar certo, acabam por chocar. E pessoas que não tinham nada a ver uma com a outra, apaixonam-se instantaneamente.

Vários especialistas analisaram um grupo de casais e identificaram onze factores comuns na base do porquê de se terem apaixonado pela pessoa que se apaixonaram.

  1. Similaridade nos traços de personalidade, atitudes e valores
  2. Proximidade geográfica
  3. Características de personalidade e aparência desejáveis
  4. Reciprocidade do afecto ou o facto de sabermos que a outra pessoa gosta de nós
  5. Facilidade em satisfazer as necessidades
  6. Excitação física e emocional
  7. Influências sociais e a aprovação dos amigos
  8. Traços particulares na voz, olhos, postura e forma de estar da outra pessoa
  9. Desejo de iniciar uma relação amorosa
  10. Oportunidades para ficarem os dois juntos
  11. Mistério, quer nas situações a dois quer na própria pessoa


Onde é que andam a passar o vosso tempo?

Isto pode não ser uma visão romântica e bonita mas se estão à procura de amor tenham simplesmente em conta onde é que passam o vosso tempo. Se não querem um tipo da noite, com t-shirt em V e um Instagram com mais selfies que vocês, não podem passar todos os vossos sábados no Main ou no Lust. Isto é redutor, eu sei. Mas atraímos as pessoas no nosso meio.

E embora esta seja uma fantasia minha, tirem da cabeça (porque eu já tirei buahhhhhhhhh) o desejo secreto de que vão estar num café a beber um chá, a ler um livro e aparece um estranho que vos aborda, senta-se na vossa mesa, ficam duas horas a conversar e são almas gémeas. É lindo. Mas irreal. Pensem nesta ideia: quem é que foram as pessoas que se tornaram os vossos melhores amigos? As pessoas da vossa turma na escola, no liceu, na faculdade... Porque eram do vosso meio. A máxima aplica-se, hoje em dia, às relações amorosas também. Os sítios onde vão têm as pessoas com quem se querem relacionar?

O que é que procuram em alguém?

As mulheres gostam de homens que as façam rir, é verdade. E, acreditem, os homens também. Mas aquela conversa de que temos de mostrar o nosso melhor lado e a melhor versão de nós mesmas é simplesmente estúpida. Sejam vocês próprias. Quando é que se sentem confiantes? Quando estão com os vossos amigos e com as pessoas com quem se sentem à vontade, certo? Porque sabem que gostam de vocês, ponto. É essa a atitude que têm de ter sempre - é assim que vão fazer a outra pessoa sentir-se bem convosco.

Além disso, os opostos não se atraem. Isso é a conversa que gostamos de dar a nós próprios quando tentamos arrastar uma relação que já sabemos que não está a funcionar. Ontem estava a ver o 'Are You The One' na MTV (jogo onde 10 homens e 10 mulheres têm de encontrar a pessoa com mais compatibilidade dentro de uma casa) e todos os concorrentes, quando tentavam adivinhar quem era o seu par perfeito, escolhiam sempre pessoas com similaridades nos gostos e na personalidade. Quanto mais parecidos, mais confortáveis se sentiam com a outra pessoa. E isto é regra básica: não se ama alguém que não ouve a mesma canção.

Estarem abertas às pessoas, é estarem abertas à vida

E esta mensagem também se aplica a mim. Não têm agora de se tornar, de repente, emocionalmente oferecidas e abrirem-se a toda a gente. Adoro a expressão emocionalmente oferecidas. Mas aceitarem e deixarem que as outras pessoas entrem na vossa vida e criarem oportunidades para estarem sozinhas com alguém é importante. É ao estarmos sozinhos com alguém que conseguimos observar os seus traços, ver como se comportam, como se movem, a que cheiram, o que pensam, o que gostam, o que desejam... São estes pequenos detalhes que, sem nos apercebermos, nos fazem apaixonar.

Uma amiga que saiu de uma relação longa (mas meeeesmo longa) dizia-me que não sabia se ia conseguir tão cedo estar com alguém porque ainda tudo nela a fazia lembrar da outra pessoa. Mas a verdade é que, por mais cliché que isto seja, o amor está ao virar da esquina e por mais partido que o nosso coração esteja, um novo amor tem a capacidade de colar todos os mil bocados novamente. É só estarmos abertas à vida. Ela conheceu um tipo numa festa que fomos no outro dia - um amigo de outro amigo nosso - e, de repente, já rolaram uns beijos e várias saídas a dois. Alguém que, há três semanas, estava tão negativa em relação ao futuro está, agora, a viver numa nuvem.

É esta a capacidade que o amor tem. Apaixonarmo-nos tem o poder de mudar a nossa vida, de vermos beleza onde antes não víamos, de acreditarmos em novas oportunidades, trabalharmos melhor e, sem dúvida, sermos melhores pessoas.

5 comentários

  1. que se lixe o amor.lol nao é por nada, mas é preciso uma sorte dos diabos. ja me apaixonei algumas vezes ( perdidamente), nao deu certo. segui em frente ( sofri pa caraças). hj tenho uma relação estavel, mas tb nao era bem isto. então, eu acredito que é preciso um grande alinhamento de astros para conheceres alguem que queres amar para td o sempre. ;) Maria Costa

    ResponderEliminar
  2. Nao concordo!

    17 de Dezembro de 2014. Estava a entrar na lounge no aeroporto de Heathrow. O lugar estava praticamente vazio. Sentada a uma mesa estava uma mulher que tinha uma áurea a sua volta, ela olhou para mim, sorriu, e o sol voltou a nascer nesse dia, nesse momento. O mundo parou e ela sorriu ainda mais porque sabia. Eu então escolhi a mesa ao lado dela numa lounge vazia. Tinha que arranjar maneira de lhe falar, mas na verdade um ola iria bastar. Acabei por me sentar a mesa dela, falamos durante duas horas, o tempo de espera dos nossos voos, destinos diferentes mas que se tinham encontrado aquela mesa. Quando ela foi apanhar o avião a senhora que nos estava a servir, perguntou me se tinhamos ficado com o contacto um do outro, e desculpou se por estar a ser atrevida com a pergunta mas que nunca tinha visto algo assim e que duas pessoas que brilhavam tanto na presença um do outro não podiam ficar sem mais se contactar. E desde dai as nossas vidas mudaram completamente, hoje os nossos destinos caminham um ao lado do outro! Não é por o sol não brilhar todos os dias que ele deixa de existir, ou seja não por não te acontecer que as coisas deixam de existir. Ainda há historias lindas, que te aquecem o coração. Claro que mesmo para nós nem todos os dias são pétalas de rosa, mas as vezes temos que aguentar os decotes em V, um erro ortográfico, o facto de por vezes queremos o nosso espaço ou até mesmo ter que ir lavar a roupa a lavandaria em vez de partilhar a cama, porque no fim do dia, quando realmente conta estamos de volta um para o outro.

    Pedro

    ResponderEliminar
  3. obrigada pela sua história Pedro. talvez eu esteja apenas desencantada com o amor, de momento. é de facto algo extraordinario, quando acontece verdadeiro e puro entre 2 pessoas. nao tenho tido sorte, ou talvez me falte coragem...dizem que velhos caminhos nao levam a novas descobertas;) Maria Costa

    ResponderEliminar
  4. se o cenário é assim tão negativo, acho que sou uma pessoa de muita sorte

    ResponderEliminar
  5. Olha os meus pais são exemplo de amor à primeira vista. A minha mãe foi sair à noite e no bar em que entrou o emprego recomendou-lhe outro bar (deve ter achado que aquele não era adequado a uma jovem sozinha) e ela acabou por ir parar ao bar em que o meu pai estava a trabalhar. Nessa noite falaram imenso e a minha mãe deixou-lhe o número de telemóvel. 3 meses depois de começarem a namorar, a minha mãe pediu o meu pai em casamento e ele aceitou. A minha mãe tinha 21 anos e o meu pai 24 quando casaram. 3 anos mais tarde nasci eu e 3 anos a seguir nasceu o meu pai. Ainda estão casados e (pelo menos aparentemente) felizes :)

    www.iwandersoiam.wordpress.com/
    www.espalhafactos.com/author/raquel-silva

    ResponderEliminar

Latest Instagrams

© the styland. Design by Fearne.