Leituras e doces

15 de abril de 2016


Eu sei que não é fácil conviver comigo num registo diário porque sou obsessiva com aquilo que como. Não vou a restaurantes à segunda-feira (porque os frescos não são... frescos), não gosto de, talvez, 60% dos pratos, não sou fã de doces, não como carne de porco, de vaca muito raramente, não entro num fast-food para lá de 10 anos, cogumelos, moluscos, mariscos e tudo o que seja "mole" faz-me muita confusão... e podia continuar.

E tiro o chapéu aos meus amigos que comigo convivem porque sei que, para quem é "normal", comer comigo pode ser desesperante quando demoro uma eternidade a trocar todos os ingredientes num prato e a perguntar como é que tudo é feito. Quando me convidam para jantar, as pessoas têm de me dizer o que estão a pensar fazer. E quando era mais nova, confesso que ficava muito constrangida. Muitas vezes não ia a jantares simplesmente porque não queria estar, em frente a toda a gente, com as minhas coisas. Há uma história que as minhas amigas gostam de replicar quando uma vez, tínhamos para aí 16 anos, fomos jantar a um restaurante chinês e, depois de ler toda a ementa ao pormenor, eu desisti e pedi um bitoque. É um daqueles tesourinhos que elas adoram contar...

Hoje em dia, simplesmente já sou eu própria. Sou complicada com a comida, comichosa dirão alguns, mas para mim é apenas natural ser assim.

Isto para vos dizer que, não sendo apreciadora de doces por natureza, muitas vezes faço alternativas. Esta é uma delas. Eu não gosto de pudins. O sabor a ovos enjoa-me e descobri que, se fizesse uma gelatina de pudim, a coisa já me caía bem e continuava a comer algo com a textura de um pudim mas muito mais saudável e sem qualquer adição de açúcar. Já fiz de ananás mas a de morango continua a ser a minha preferida e a que faço imensas vezes.

Demora cerca de 10 minutos a fazer e basta simplesmente trocar a água por leite ao pacote de gelatina.

Uma curiosidade: comprei ontem morangos no Continente, fiz o doce e guardei os restantes dentro da embalagem no frigorífico. Hoje, metade deles já estava com bolor - e isso acontece-me sempre, sempre, sempre. Ao ler o site dos frescos do Continente, simplesmente percebi que é porque os conservo de forma errada. Na galeria de imagens, em baixo, podem clicar e ler dicas de como conservar estes alimentos, receitas e formas de tirar melhor partido deles. Agora, bem, vou comer o resto do meu pudim/gelatina.



A Tita, que é a gata mais cusca de todo o sempre, teve de vir inspeccionar o que eu estava a fazer. Tive de tirar o doce da mesa. Depois de tentar agarrar a palhinha - sem sucesso - deu uma patada no frasco e virou a água toda em cima dela. Foi assim a minha manhã.

6 comentários

  1. Hoje estava a comprar morangos e apesar mesmo nisso, como conserva-los mais tempo? Acabei por comprar a quantidade para dois dias mas agora vou espreitar o link que partilhas.

    ResponderEliminar
  2. Ahahahah a Tita, que querida <3 e que gata :p

    Gelatina de pudim...isso é uma grande ideia!

    Jiji

    ResponderEliminar
  3. Compreendo totalmente o que dizes. Também sou bastante difícil de comer e muitas vezes as pessoas não entendem que não é ser esquisita e que não fazemos de propósito...
    Gostei muito dessa sugestão de doce :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. hahaha sou igual! A única diferença é que sou uma formiga, como muito doce. Mas de resto, sou bem chata com comida e vivo analisando os prazos de validade, etc!

    ResponderEliminar
  5. Adorei a dica de trocar a água da gelatina por leite!
    Obrigada pela partilha do link sobre conservação de alimentos.
    P.S. A gata é uma fofura! ;)

    ResponderEliminar
  6. Também costumo fazer e agora experimentei gelatina com quark, que dizem que é mais saudável e fica igualmente bom.:p
    Parece que a Tita está a beber pela palhinha.ahahah

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Latest Instagrams

© the styland. Design by Fearne.